Bíblia, Papas e Santos contra o homossexualismo

A. Messias

INTRODUÇÃO

Com as recentes polêmicas envolvendo o Papa Francisco vários “católicos” homossexuais, a despeito das condenações da Igreja ao pecado contra a natureza da sodomia, vem argumentando “Jesus nunca condenou Gays!” ou “os Santos nunca condenaram”. Esses argumentos não se sustentam,pois Jesus deixou claro que não veio abolir a lei e sim levá-la a perfeição. Antigamente, por exemplo , era permitido o divórcio e adultério era só físico. Nosso Senhor, então, disse que não existe Divórcio e que só de olhar para uma mulher ou homem e desejá-la(o) sexualmente a pessoa já é passível de ir pro inferno , ou seja , JESUS FOI MAIS RIGOROSO do que a lei anterior! Não faz sentido ele aprovar um pecado que foi descrito em Levitico como ” abominação ” a Deus , mas não bastando isso… Jesus CONDENOU SIM A SODOMIA! E muitos Santos e Papas também e sobre isso que falaremos aqui.

Nosso Senhor a Santa Catarina de Sena

Numa aparição que fez a Mística Santa Catarina de Sena , narrada em seu livro ” O Diálogo ” Nosso Senhor falou da aversão que sente contra o Pecado do homossexualismo e como os praticantes são desprezados até pelo diabo.Santa Catarina de Siena, a grande mística religiosa do século XIV, transmitiu as palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo sobre o pecado do Homossexualismo, que contaminou alguns dos clérigos em seu tempo, o Renascimento.Referindo-se aos ministros sagrados que cometiam este pecado, Ele disse a ela:

Eles [os sodomitas ] não apenas não conseguem resistir à fraqueza [da natureza humana caída] … mas eles pioram quando cometem o pecado amaldiçoado contra a natureza. Como o cego e o estúpido, tendo diminuído a luz do entendimento deles, eles não reconhecem a doença e a miséria em que se encontram. Por isso, isso não só me provoca náusea, mas é desagradável mesmo para os próprios demônios que essas criaturas depravadas escolheram como seus senhores.Para mim, esse pecado contra a natureza é tão abominável que, por isso, apenas cinco cidades foram destruídas em virtude do julgamento da Minha Divina Justiça, que não poderia mais suportar a sua iniqüidade …É desagradável para os demônios, não porque o mal desagrada-los ou porque eles acham prazer no bem, mas sim porque sua natureza é angélica e fogem ao ver que um pecado tão repulsivo seja cometido. Pois, certamente, é o diabo que primeiro atinge o pecador com a flecha envenenada da concupiscência, no entanto, quando um homem realmente realiza um ato tão pecaminoso, o diabo vai embora.”- Traduzido de http://www.traditioninaction.org/religious/n010rp_Homosexual_%20St.%20Cath.Siena.htm

O texto foi aprovado pela Igreja e mostra de forma bem forte a visão do Nosso Senhor contra os pecados contra natureza. Mas temos outras condenações.

Bíblia, Papas e Santos contra pecados contra natureza

Bíblia

Segundo este versículo, fica claro que Deus é contra que a sociedade aceite este pecado de qualquer modo:”[Deus] condenou à destruição e reduziu a cinzas as cidades de Sodoma e Gomorra para servir de exemplo aos ímpios do porvir” II Pe 2:6″Por isso Deus os entregou a paixões vergonhosas, as suas mulheres mudaram as relações naturais em relações contra a natureza. Do mesmo modo também os homens, deixando o uso natural da mulher, arderam em desejos uns para com os outros, cometendo homens com homens a torpeza, e recebendo em seus corpos a paga devida ao seu desvario” Rm 1:26-27

Papa São Pio V ( 1568)

Aquele horrendo crime, pelo qual as cidades corruptas e obscenas [Sodoma e Gomorra] foram queimadas por condenação divina, nos enche de amarga dor e nos estimula veementemente a reprimi-lo com o maior zelo possível. Com toda a razão o 5° Concílio de Latrão (1512-1517) estabelece que todo membro do clero apanhado na prática do vício contra a natureza, pelo qual a cólera divina caiu sobre os filhos da iniquidade, seja despojado das ordens clericais ou obrigado a fazer penitência em um mosteiro (c.4, X, V, 31 ). Para que o contágio de tão grande flagelo não se propague com maior audácia valendo-se da impunidade, que é o maior incentivo ao pecado, e a fim de castigar mais severamente os clérigos culpados desse nefando crime que não estejam aterrorizados com a morte da alma, decidimos que eles sejam castigados pela autoridade secular, que faz cumprir a lei. Portanto, com o desejo de adotar com maior vigor o que decretamos desde o início do Nosso Pontificado (Bula Cum Primum). estabelecemos que todo sacerdote ou membro do clero, seja secular ou regular, de qualquer grau ou dignidade. que cometa esse horrível crime. por força da presente lei seja privado de todo privilégio clerical, ofício, dignidade e benefício eclesiástico; e que, uma vez degradado pelo juiz eclesiástico, seja entregue à autoridade civil para receber a mesma punição que a lei reserva aos leigos que se lançaram nesse abismo” [1].

Catecismo Maior de São Pio X

“963) Quais são os pecados que bradam ao Céu e pedem vingança a Deus?Os pecados que bradam ao Céu e pedem vingança a Deus são quatro:1º homicídio voluntário;2º pecado impuro contra a natureza;3º opressão dos pobres, principalmente órfãos e viúvas;4º não pagar o salário a quem trabalha.

964) Por que se diz que estes pecados pedem vingança a Deus?

Diz-se que estes pecados pedem vingança a Deus, porque o diz o Espírito Santo, e porque a sua malícia é tão grave e manifesta, que provoca o mesmo Deus a puni-los com os mais severos castigos”.

Código de Direito Canônico de 1917

Os leigos que tenham sido legitimamente condenados por delitos contra o sexto mandamento, cometidos com menores que não tenham chegado aos dezesseis anos de idade, ou por estupro, sodomia, incesto, lenocínio, são ipso facto infames, ademais de outras penas que o Ordinário queira impor-lhes” (cânon 2357. 1). O cânon 2358 prevê que clérigos de ordens menores (os que não são ainda subdiáconos ou acima) sejam punidos “até pela dispensa do estado clerical”.Com relação aos clérigos de ordens mais elevadas (diácono, sacerdote e bispo): ”Se cometeram um crime contra o sexto mandamento com um menor de 16 anos de idade, ou cometeram adultério, estupro, bestialidade, sodomia, lenocínio, ou incesto com consanguíneos ou afins, serão suspensos de ordem, declarados infames, privados de qualquer ofício, benefício, dignidade ou cargo que possam ter, e em casos mais graves, serão depostos” (cânon 2359)

João Paulo II

81. Ao ensinar a existência de atos intrinsecamente maus, a Igreja cinge-se à doutrina da Sagrada Escritura. O apóstolo Paulo afirma categoricamente: «Não vos enganeis: Nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem maldizentes, nem os que se dão à embriaguez, nem salteadores possuirão o Reino de Deus» (1 Cor 6, 9-10)” [2]

Santo Agostinho (354-430)

As ofensas contrárias à natureza devem ser detestadas e punidas em todo o tempo e lugar. Assim aconteceu com os sodomitas, e todas as nações que as cometerem deveriam ser igualmente culpadas do mesmo crime ante a lei divina, pois Deus não fez os homens de tal modo que possam abusar um do outro daquele modo. A amizade que deve existir entre Deus e nós é violada quando a própria natureza, da qual Ele é autor, fica poluída pela perversão da luxúria” [5].

São João Crisóstomo (347-407)

Se zombais ao ouvir falar do inferno e não acreditais no seu fogo, lembrai-vos de Sodoma. Muitos não acreditariam no que acontecerá após a ressurreição, mas se ouvem falar agora de um fogo inextinguível, Deus os conduz a pensar corretamente através das coisas presentes. Considerai quão grande foi o pecado, para forçar aquele incêndio destruidor e o aparecimento do inferno antes do tempo! Aquela chuva [de enxofre] foi o oposto da chuva comum. Mas se ela era fora do comum, as relações sexuais eram também contrárias à natureza; se ela inundou a terra, a luxúria havia feito o mesmo com as almas deles. Aquela chuva não estimulou o seio da terra a produzir frutos, mas além disso tornou-a inútil para receber a semente. As relações sexuais dos homens tornaram também seus corpos mais inúteis que a própria terra de Sodoma. Há algo mais detestável e mais execrável do que um homem que se prostitui?” [4].

1] Bula Horrendum illud scelus, Bullarium Romanum Vol.4, Cap.3, p.33

[2] Veritatis Splendor, 6 de agosto de 1993

4] IV Homilia sobre Romanos 1:26-27

[5] Confissões, Livro III, Cap.8, No.15

Conclusão

Concluimos afirmando que o MAGISTÉRIO NÃO É ESQUIZOFRÊNICO. Ele não pode afirmar algo antes e algo oposto depois. Até por caridade para com os homossexuais precisamos ser claros e expor de forma coerente qual a posição católica sobre esse assunto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s