Em vídeo vazado, médico abortista de Recife exorta colegas a informar a “como tomar” medicamentos abortivos ilegalmente

O obstetra Olímpio Moraes, Profissional do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam) e responsável pelo aborto da menina de 23 semanas de São Mateus (ES) e dos gêmeos de Alagoinha (2009), não só parece ignorar a norma técnica do Ministério da Saúde que proíbe o aborto em caso de estupro após as 22 semanas de gestação, como também, em vídeo vazado, exorta publicamente outros médicos a realizarem o procedimento mesmo fora dos casos não punidos pela lei.

No vídeo, Olímpio, que é ativista pela legalização total do aborto no Brasil há anos (tendo inclusive participado das audiências públicas no STF sobre a ADPF 442), diz que: “Se foi uma relação consentida, não houve violência, você tem que dar informação. Nós profissionais de saúde, pessoas, nós, não podemos negar informação. Nós temos de dizer tudo: o aborto é ilegal e por ser ilegal tem riscos, mas vamos minorar seus riscos, dizer como é que faz, orientar ela. O aborto é ilegal? É. Mas como é que toma? Tem que dizer. A gente tem que orientar ela para não morrer. É nosso papel. É um direito humano (sic) em formação.”

Tal fala parece se enquadrar como uma apologia ao crime, proibida pelo Código Penal (cf. artigo 287).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s